Search results for tv gazeta

Plantas com Bulbos

Plantas com Bulbos

O assunto hoje é plantas com bulbos. E o que são bulbos?

De acordo com o iDicionário Aulete:

Bulbo: Gema (2) subterrânea envolta em escamas carnudas, que armazena substâncias alimentícias para garantir a sobrevivência da planta (p.ex.: a cebola), e que, separada da planta em que se criou, pode dar origem a outra.

 

Então, as plantas com bulbos possuem como característica básica um mecanismo de reserva de alimentos, que fica normalmente localizado abaixo da superfície do solo. Nessa parte das plantas desenvolvem-se as gemas, responsáveis pelo aparecimento de novas gerações do vegetal. Há bulbos que se adaptam às mais diversas situações possíveis: suportam geadas, secas, o frio e o calor intenso e brotam novamente, após um período de descanso, quando as condições melhoram.

 

A capacidade que têm de acumular nutrientes garante o impulso inicial para o crescimento da planta na estação seguinte; e muitos deles reservam também alimentos para nutrir as folhas e flores. Por isso, bulbos podem florir até nas prateleiras, se você esquecer de plantá-los.

 

Os bulbos podem ter formas variadas, mas de maneira geral, são “gordinhos” na base e “afunilados” no topo:
Bulbos verdadeiros
Bulbo de amarílis com gema
Bulbo de jacinto em crescimento

Como os bulbos “fabricam” suas reservas de alimentos absorvendo energia solar pela fotossíntese, sua folhagem necessita de certos cuidados. Depois que as flores murcham, as folhas devem ter um período de crescimento e amadurecimento normais, a fim de que o bulbo subterrâneo acumule energia suficiente para suportar o período de descanso e possa, posteriormente alimentar a próxima geração.

 

Hipeastrum Hibridum (amarílis):

Hipeastrum Hibridum (amarílis)

O Amarílis, também é conhecido por açucena e por flor-da-imperatriz, é uma planta bulbosa que se adapta muito bem às nossas condições climáticas, pois é originária da América do Sul. Ele tem um rápido crescimento e floração de até um mês, após esse período o bulbo entra em período de dormência, perdendo todas as folhas e adquirindo uma aparência “sem-vida” florescendo novamente na primavera. Suas flores podem ser vermelhas, brancas ou mescladas.

Ela não precisa de muita água, regue uma vez a cada 5 dias, com uma xícara de água. A planta pode ficar em local com bastante luz, com algumas horas de sol direto. Se ela for colocada num local escuro, ela tende a crescer muito antes de florescer.Dica: após o florescimento e depois que suas folhas secarem, corte a haste até 1 cm acima do bulbo e plante-o no jardim ou em um vaso com terra nova. Na primavera florescerá novamente.

 

Se você quiser fazer a experiência de plantar o bulbo e acompanhar seu crescimento, pode comprar o bulbo diretamente na loja TOCA DO VERDE.

 

Plante o bulbo na terra, ou substrato bem drenado, deixando apenas o pescoço do bulbo fora da terra. Após o plantio molhe bem a terra e deixe o vaso em local quente e claro. A floração acontecerá em aproximadamente 4 semanas. Você verá algo assim:
1a fase: bulbo recém plantado
2a fase
3a fase
4a fase: florido, lindo!

Hyacinthus spp. (jacinto)

Hyacinthus spp. (jacinto)
O jacinto também é uma planta bulbosa e herbácea com uma belíssima floração na primavera. Suas folhas são espessas, brilhantes e longas e surgem em numero de quatro a seis. A inflorescência é ereta e simples, de formato cilíndrico, com numerosas flores cerosas, simples ou dobradas, duráveis e muito perfumadas, de cor azul, rosa e branca. É originário da África, Europa mediterrânea e Ásia.

 

O jacinto gosta de locais mais frescos, longe da luz solar direta. Regue frequentemente evitando a acumulação de umidade.

O Alex do blog A febre das Plantas – Plantas de Interior tem umas fotos ótimas e mais explicações de todo o processo a ser feito com a planta após a floração.

Tulipa Gesneriana (tulipa)

Tulipa Gesneriana (tulipa)
As tulipas são originárias da Ásia Central e não da Holanda, como o senso comum leva a imaginar. Foram levadas para a Holanda em 1560 pelo botânico Conrad Von Gesner. Algumas referências defendem que as tulipas seriam originárias da China, de onde foram levadas para as montanhas do Cáucaso e para a Pérsia.

 

O nome da flor foi inspirado na palavra “tulipan” que significa “turbante” (o formato da tulipa lembra um turbante). As flores podem ser vermelhas, roxas, pink, amarelas, brancas e atingem de 60 a 90cm de altura.

 

Aqui no Brasil é muito difícíl a tulipa produzir novos bulbos. Os bulbos que florescem aqui são importados da Holanda, climatizados e passam por um processo de adaptação ao nosso clima.

Dica: quando for comprar um tulipa, procure uma que esteja com o botão ainda fechado. Coloque-a num  local bem fresco, longe da luz solar direta e regue-a com um pouco de água todos os dias. Ou então pode colocar um cubo de gelo sobre a terra a cada dia, tomando cuidado para o gelo não tocar a planta e queima-la.

Você também pode colocá-la na geladeira a noite para que a flor se feche e dure mais.

Assista aqui o programa sobre bulbos que fiz na TV Gazeta:

Crédito das fotos:

Foto esquemática bulbos verdadeiros: Enciclopédia Plantas e Flores vol.1. São Paulo, SP: Editora Abril Cultural, anos 70.
Fotos esquemáticas bulbo com gema e bulbo em crescimento: Série Atlas Visuais – Plantas. 6a edição, 7a impressão. São Paulo, SP: Editora Ática, 2005.
Fotos das flores e das fases do amarílis: Terra Viva

 

Referências:
LORENZI, Harri. Plantas ornamentais no Brasil: arbustivas, herbáceas e trepadeiras. 3a edição. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2001.
Enciclopédia Plantas e Flores vol.1. São Paulo, SP: Editora Abril Cultural, anos 70.
Série Atlas Visuais – Plantas. 6a edição, 7a impressão. São Paulo, SP: Editora Ática, 2005.

 

Sites consultados:

Gostou do post? Do site? Conecte-se com a natureza comentando, curtindo e compartilhando meus posts e vídeos nas redes sociais! Eu te agradeço!

 

Beijos floridos de gratidão,

Nô Figueiredo – A Menina do Dedo Verde

Conexão com a natureza

Como Fazer substratos para plantas

Como Fazer substratos para plantas

Vamos começar do começo. Vamos falar sobre a terra, ou o substrato, no jargão do paisagismo. A terra é a base do jardim ou do vaso. É como o alicerce da casa. Se você colocar uma terra boa e fizer uma boa drenagem, a sua planta ficará muito mais saudável, forte e bonita. Eu nunca economizo na terra. Procuro sempre comprar uma terra de boa qualidade e procedência e ainda dou uma incrementada nela, de acordo com o que irei plantar.

 

DRENAGEM

A primeira coisa a fazer é cobrir o furo ou furos do vaso com manta de drenagem (bidim). A manta de dreangem é uma espécie de um tecido, tipo um feltro, que funciona como um filtro de café, segurando a terra e as raízes da planta dentro do vaso ao mesmo tempo em que permite o escoamento da água.

 

Depois coloco argila expandida (umas bolinhas redondas, muito leves, formadas por uma espuma cerâmica com microporos protegidas por uma casca rígida e resistente), que garantem a drenagem do vaso, ou seja, que não fique água parada no fundo do vaso encharcando a raiz da planta. Então coloco mais uma camada de manta de bidim. Coloco a manta sobre a boca do vaso, e corto deixando uns 2 dedos de distância da borda na volta toda (se o vaso for reto). Se o vaso for afunilado, pode cortar rente à borda que dá certo. Então afundo a manta e coloco-a sobre a argila expandida, de forma que suba um pouquinho nas laterais do vaso. Só então é que coloco um pouco de substrato, a muda da planta e então completo mais substrato nas laterais.

 

Utilize um copo ou xícara e use como a sua medida.

 

SUBSTRATO BÁSICO

Indicado para begônia, violeta, lírio-da-paz, antúrio, árvore-da-felicidade, aglaonema, jibóia, filodendros, ciclamem, zamioculcas, peperomias
1 1/2 medida de humus de minhoca
1 1/2 medida de terra
3 medidas de fibra de coco
2 medidas de areia
2 medidas de vermiculita
Veja no VÍDEO como fazer
Peperomia sandersii (peperômia melancia)
Anthurium andraeanum (antúrio)
Anthurium andraeanum (antúrio)
Anthurium clarinervium (antúrio clarinervio)

Substrato para Cactáceas e Suculentas

Indicado para cactos em geral, ripsalis, flor-de-outubro, flor-de-maio, dedo-de-moça, etc

6 medidas de areia
3 medidas e 1/2 de terra
1/2 medida de humus de minhoca
Veja no VÍDEO como fazer.
Echeveria elegans (echevéria)
Echeveria elegans (echevéria)
Echeveria elegans (echevéria) – detalhe flor
Sedum morganianum (suculenta dedo-de-moça)
Sedum morganianum (suculenta dedo-de-moça)

SUBSTRATO PARA SAMAMABAIA DE RAÍZ

Indicado para saia baiana, paulistinha, compacta, cabelinho de anjo ou mini

1 medida de areia
2 medidas de terra
7 medidas de humus de minhoca
1 colher de chá de carvão moído
Veja no VÍDEO como fazer
Samambaia saia baiana
Samambaia saia baiana
Samambaia cabelo de anjo
Samambaia cabelo de anjo

SUBSTRATO PARA SAMAMBAIA DE RIZOMA

Indicado para rendas portuguesa e francesa, de metro, avencas, pluma, platicerum, asplênio, amazonas, bromélias e chifre-de-veado

1 medida de areia
1 medida de terra
1 medida de humus de minhoca
7 medidas de fibra de coco ou casca de pinus triturada
1 colher de chá de carvão moído
Veja o VÍDEO de como fazer
Avenca
Avenca
Rumohra adiantiformis (renda francesa)
Rumohra adiantiformis (renda francesa)

SUBSTRATO PARA AZALÉIA E PALMEIRAS

3 medidas de areia
4 medidas de terra

3 medidas de humus de minhoca

 

SUBSTRATO PARA ROSEIRAS

2 medidas de areia
4 medidas de terra
4 medidas de humus de minhoca

 

SUBSTRATO PARA ORQUÍDEAS

Fibra de coco e/ou casca de pinus triturada

Veja no VÍDEO mais dicas de substratos para orquídeas

 

 

 

Para assistir ao programa que foi ao ar: Aula de jardinagem: como fazer substratos para plantas – TV Gazeta

 

Receitas ensinadas pela profa Creunícia Pereira Marques no curso do Manequinho Lopes

 

 

Gostou do post? Do site? Conecte-se com a natureza comentando, curtindo e compartilhando meus posts e vídeos nas redes sociais! Eu te agradeço!

 

Beijos floridos de gratidão,

Nô Figueiredo – A Menina do Dedo Verde

Conexão com a natureza

cultivo de plantas de interior

cultivo de plantas de interior

Veja aqui as dicas de cultivo das plantas que vivem bem em ambientes com pouca luminosidade e que foram apresentadas na TV:

Dorstenia bahiensis (Dorstênia)

Dorstenia bahiensis (Dorstênia)
A dorstênia é nativa das regiões tropicais da América do Sul, sendo a espécie Dorstenia brasiliensis de origem brasileira, como o próprio nome diz. Trata-se de uma pequena planta, medindo cerca de 20 cm de altura, que produz flores em formato de copo de coloração vermelho amarronzado.
Dorstenia bahiensis (Dorstênia) – detalhe da flor
Dorstenia bahiensis (Dorstênia) – detalhe da folha
Planta muito fácil de cultivar. Precisa de água 2 vezes por semana e 1 vez por mês de adubo. Não gosta de luminosidade direta, sendo excelente para ambientes internos com pouca luz.
Medinilla magnifica (Medinila)
Medinilla magnifica (Medinila)
 

Este arbusto semi-lenhoso, originário das Filipinas e Java, é considerado raro e exótico. Seu porte varia de 80cm a 2m de altura, sendo seu crescimento lento.
Medinilla magnifica (Medinila)
Suas flores são pendentes e longas, podendo atingir até 30cm de comprimento, aparecendo na primavera e no verão.
Medinilla magnifica (Medinila) – detalhe da flor em formação
Medinilla magnifica (Medinila) – detalhe da flor magnífica
Graças à sua flor exuberante, é também conhecida por uva-rosa. Gosta de solo com bastante matéria orgânica e mantido sempre úmido. Precisa de no mínimo 4 horas de luminosidade indireta por dia. Sendo ideal para varandas e salas bem próximas da janela que receba sol. Não gosta de sol direto, frio intenso nem de solo encharcado.


Dracaena godseffiana
(dracena confeti)

Dracaena godseffiana “Florida beauty”
Esse arbusto semi-lenhoso é originário da África e pode atingir entre 1m a 1,5m de altura e 1m de diâmetro. Sua ramagem é verde-brilhante, fina e dispersa.
Suas inflorescência são curtas, com flores pequenas, verde-amareladas, sem muito efeito ornamental, seguidas de frutos arredondados vermelhos e muito vistosos. Pode ser cultivada em vaso ou formando grupos em canteiros. Sem à meia-sombra., com terra fertilizada e irrigada periodicamente. Não gosta de frio.
Existem 3 tipos de dracenas confeti, a “Florida beauty” tem suas folhas cobertas por várias bolinhas amarelo-creme e brancas com se tivessem sido estouradas.

Dracaena godseffiana “Florida beauty”
Dracaena godseffiana “Florida beauty”
A Dracaena godseffiana “gold-dust”, que tem pontinhos amarelos que depois ficam brancos.
racaena godseffiana “Florida beauty”
Dracaena godseffiana “gold-dust”
E a Dracaena Godseffiana “milky-way”

 

Dracaena Sanderiana (Bambo da sorte ou Lucky bamboo)

Dracaena Sanderiana (Bambo da sorte ou Lucky bamboo)
Dracaena Sanderiana (Bambo da sorte ou Lucky bamboo)
 

Arbusto de textura semi-herbácea, de folhagem ornamental, originário da África, de 1 a 1,5m de altura.
Cultivado em vasos, jardineiras, bordaduras, como planta isolada ou formando conjuntos. Tanto a pleno sol como a meia-sombra, com folhagem permanente, proporcionando efeito de massa.
Pode também ser cultivado em vaso com água, em interiores com pouca luminosidade. Trocar a água 1x por semana.

Para assistir ao programa que foi ao ar: Mineiras Chilenas na TV

Para assistir minhas outras participações na TV: TV Gazeta

As plantas são do Mercado Verde.

Referências bibliográficas:

LORENZI, Harri et SOUZA, Hermes Moreia de. Plantas ornamentais no Brasil: arbustivas, herbáceas e trepadeiras. 3ª edição. Nova Odessa, SP. Instituto Plantarum, 2001.

GRAF, Alfred Byrd. Tropica: Color Cyclopedia of Exotic Plants and trees. Roehrs Company. 1st Edition, 1978.

 

Gostou do post? Do site?
Conecte-se com a natureza curtindo e compartilhando meus posts e vídeos nas redes sociais! Eu te agradeço!

Beijos floridos de gratidão,

Nô Figueiredo – A Menina do Dedo Verde
Conexão com a natureza.

Como Cultivar Flores na Primavera

Como Cultivar Flores na Primavera

Agora que estamos no final do inverno e as plantas começam a sair do repouso vegetal, é importante adubarmos as plantas para que elas possam ter o nutrientes que precisam para produzirem flores e frutos. Os principais nutrientes que a planta precisa são:

 

O Nitrogênio (N) – importante para o crescimento e desenvolvimento das raízes, caules e folhas. No começo de sua vida, a planta absorve uma grande quantidade de nitrogênio e o deixa armazenado em seus tecidos de crescimento.

Quando ele está em maior quantidade na fórmula ele é recomendado para estimular a brotação e o enfolhamento. Ótimos para folhagens em geral e para gramados.

Sua falta na fase inicial retarda o crescimento e consequentemente a produção. Geralmente a sua falta deixa a folha com a cor verde pálida ou verde amarelada e o excesso produz abundante folhagem de coloração verde-escura.

 

Fósforo (P) – importante na formação da clorofila e para aumentar o desenvolvimento radicular proporcionando à planta maior capacidade de absorver os elementos férteis do solo.

O fósforo também age diretamente na qualidade dos frutos e maturação das sementes.

Se você quer estimular o surgimento de raízes (após um transplante por exemplo), o aumento das floradas, das frutificação e produção de sementes, você deve reforçar adubos onde o fósforo está em maior quantidade.

Em regiões onde ocorrem geadas ele é importante para aumentar a resistência das plantas ao frio e ajuda a apressar a maturação dos frutos.

A deficiência desse elemento pode ser percebida pela coloração arroxeada das folhas.

 

Potássio (K) – contribui na formação de tubérculos, rizomas, fortalece os tecidos vegetais e ainda aumenta a resistência contra a seca. Sem ele a planta não se desenvolve e fica atrofiada e mais sujeita ao ataque de pragas e doenças.

 

Húmus de minhoca – melhora a porosidade do solo, aumenta os teores de nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio e manganês, melhora o ph e aumenta o número de microorganismos no solo. É tudo de bom!!!

 

farinha de ossos é proveniente da moagem de ossos. Contém fósforo e cálcio.

 

torta de algodão – rica em nitrogênio e matéria orgânica.

 

Aqui tem uma ótima receita de adubação orgânica para estimular flores e frutos:

Adubação orgânica para planta que floresce e frutifica:

3 colheres de farinha de osso
1 colher de torta de algodão ou mamona
8 colheres de humus de minhoca

Veja como fazer aqui.

Eu recomendo a adubação a cada 2 ou 3 meses. Mais do que isso pode ser prejudicial à planta.

 

Sintomas de excesso de adubação:

  • Crescimento exagerado das hastes, que ficam espichadas demais.
  • Na superfície do vaso pode se formar um limo esverdeado ou uma cobertura branca, e quando as folhas tocam esse local murcham, apodrecem e caem.
  • Também é possível que as pontas das folhas fiquem amarronzadas.
  • Assim que você notar o aparecimento desses sintomas, suspenda a adubação.

Atenção: o excesso de adubação inorgânica pode matar a planta.

 

 

Substrato para plantas de flor:

1 1/2 medida de humus de minhoca
1 1/2 medida de terra
3 medidas de fibra de coco ou casca de pinus triturada
2 medidas de areia
2 medidas de vermiculita

Veja como fazer aqui.

Confira agora as dicas de cultivo das Plantas que estavam no estúdio:

Afelandra – Aphelandra squarrosa

(afelandra-zebra ou espiga dourada)

  • Nativa do brasil
  • Atinge de 50 a 90cm de altura
  • Inflorescências duráveis de cor amarela, formadas na primavera e verão
  • Pode ser cultivada em vasos ou formando maciços no solo.
  • Gosta de meia sombra
  • Solo permeável e com matéria orgânica
  • Em regiões tropicais, a afelandra pode ser cultivada diretamente no jardim, formando belos maciços e renques junto a muros, em canteiros bem adubados.
  • Em lugares de clima frio, ela apreciará o cultivo em vasos e jardineiras, em locais protegidos dentro das residências ou em casas de vegetação.
  • Multiplicação: estacas obtidas ao rebaixar a planta quando muito espigada. Ideal fazer no final do inverno. Colocar a estaca para enraizar em local protegido com umidade elevada.

 

Lírio da paz – Spathiphyllum wallisii

  • Nativa da venezuela e colômbia
  • Atinge de 30 a 40cm de altura
  • Inflorescências duráveis de cor branca, formadas na primavera e verão
  • Pode ser cultivada em vasos ou formando maciços no solo.
  • Gosta de meia sombra
  • Não tolera o frio.
  • Substrato rico em matéria orgânica, com boa drenagem.
  • Multiplica-se por divisão das touceiras.
  • Pode ser plantada em vasos decorando interiores ou em maciços e bordaduras protegidas por muros, árvores ou outras coberturas.
  • Planta purificadora de ar

 

Primavera – Bougainvillea spectabilis

(buganvile, buganvília, ceboleiro, santa-rita, três-marias)

  •  Nativa do brasil
  • Cultivada a pleno sol
  • Trepadeira lenhosa, espinhenta e pesada
  • As flores são pequenas e as brácteas coloridas
  • Pode ser conduzida com arbusto, arvoreta, cerca-viva e como trepadeira, enfeitando com majestade pérgolas e caramanchões de estrutura forte.
  • Gosta de solo fértil
  • Suporta frio e geadas
  • Requer podas de formação e de manutenção anuais, para estimular o florescimento e renovar parte da folhagem.
  • Multiplica-se por sementes, alporquia e estaquia.

 

Lágrima-de-cristo – Clerodendrum thomsonae

(clerodendro-trepador)

  • Nativa da áfrica ocidental
  • Cultivada a pleno sol
  • Trepadeira semi-lenhosa de crescimento lento, porém de efeito espetacular.
  • Flores com cálice branco inflado e corola expandida vermelha.
  • Deve ser conduzida sobre suporte, boa para caramanchões e pergolados por produzir bela sombra no verão e permitir a passagem de luz no inverno.
  • Floresce na primavera e no verão
  • Atrai mamangavas.
  • Gosta de solo fértil
  • Sensível às geadas.
  • Não gosta de poda
  • Multiplica-se por alporquia e estaquia após o florescimento.

 

Gérbera – Gerbera hybrida

(margarida da áfrica)

  • Nativa da áfrica
  • Inflorescências formadas na primavera e verão
  • Planta purificadora de ar
  • Cultivada a pleno sol
  • Cultivada em grupos como bordadura ou conjuntos isolados
  • Aprecia climas frios
  • Gosta solo composto de terra de jardim e terra vegetal, bem adubado
  • Com regas regulares.
  • Multiplicam-se por sementes ou por divisão da planta.

 

Hortênsia – Hidrangea macrophilla

  • Adoram o sol
  • No inverno, aproveite para fazer uma poda, deixando-as com 30 a 40cm do solo para que rebrotem com força total na primavera. É um bom momento para fazer novas mudas com as ponteiras podadas
  • Florescem na primavera/verão
  • As flores adoram ser pulverizadas com água
  • Truque da cor: a cor da hortênsia varia de acordo com o teor de ph do solo.
  • Flor azul: solo ácido, ph abaixo de 6,5. Para intensificar o azul, coloque palha de aço de molho num pote com água da noite para o dia e então regue suas hortênsias com essa água “enferrujada”.  Vá alternando as regas com água normal.
  • Flor branca: solo neutro.
  • Flor rosa: solo alcalino, ph acima de 7,5. Para deixar suas flores rosadas, acrescente no solo calcário dolomítico, 300gr por m2.

 

Jasmim-dos-poetas – Jasminum polyanthum

(jasmim-de-inverno, jasmim-rosa)

  • Nativa da ásia e china
  • Cultivada a pleno sol
  • Trepadeira semi-lenhosa de crescimento rápido, com perfume delicioso e suave
  • As flores são rosadas por fora e brancas internamente, com 5 pétalas patentes e exalam um perfume adocicado.
  • Floração pode ocorrer no outono, inverno ou primavera de acordo com o clima. Aqui em sp é na primavera.
  • Solo fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica
  • Irrigado a intervalos regulares.
  • Aprecia o clima ameno, florescendo mais abundantemente.
  • Necessita podas de limpeza e tutoramento anuais, que a deixarão sempre viçosa e florífera
  • Multiplica-se por estaquia dos ramos semi-lenhosos, cortados após a floração. Também pode ser propagada por sementes, mergulhia e alporquia.

 

 

Gostou do post? Do site? Conecte-se com a natureza curtindo e compartilhando meus posts e vídeos nas redes sociais! Eu te agradeço!

 

Beijos floridos de gratidão,
Nô Figueiredo – A Menina do Dedo Verde
Conexão com a natureza