Plantas

Aqui estão todas as minhas dicas de cultivo de plantas

Plantas com bulbos – TV Gazeta

Plantas com bulbos – TV Gazeta

Assista agora à minha participação no programa Manhã Gazeta da Olga Bongiovanni, dando dicas de cultivo de plantas com bulbos:

Programa foi ao ar em 22 de abril de 2011.


As plantas foram gentilmente cedidas pela Natus Verde Plantas Ornamentais, que infelizmente não existe mais.

 

 

Saiba mais sobre PLANTAS COM BULBOS

 

Assistir minhas outras participações na TV Gazeta 

Gostou do post? Do site? Conecte-se com a natureza comentando, curtindo e compartilhando meus posts e vídeos nas redes sociais! Eu te agradeço!

 

Beijos floridos de gratidão,

Nô Figueiredo – A Menina do Dedo Verde

Conexão com a natureza

Plantas com Bulbos

Plantas com Bulbos

O assunto hoje é plantas com bulbos. E o que são bulbos?

De acordo com o iDicionário Aulete:

Bulbo: Gema (2) subterrânea envolta em escamas carnudas, que armazena substâncias alimentícias para garantir a sobrevivência da planta (p.ex.: a cebola), e que, separada da planta em que se criou, pode dar origem a outra.

 

Então, as plantas com bulbos possuem como característica básica um mecanismo de reserva de alimentos, que fica normalmente localizado abaixo da superfície do solo. Nessa parte das plantas desenvolvem-se as gemas, responsáveis pelo aparecimento de novas gerações do vegetal. Há bulbos que se adaptam às mais diversas situações possíveis: suportam geadas, secas, o frio e o calor intenso e brotam novamente, após um período de descanso, quando as condições melhoram.

 

A capacidade que têm de acumular nutrientes garante o impulso inicial para o crescimento da planta na estação seguinte; e muitos deles reservam também alimentos para nutrir as folhas e flores. Por isso, bulbos podem florir até nas prateleiras, se você esquecer de plantá-los.

 

Os bulbos podem ter formas variadas, mas de maneira geral, são “gordinhos” na base e “afunilados” no topo:
Bulbos verdadeiros
Bulbo de amarílis com gema
Bulbo de jacinto em crescimento

Como os bulbos “fabricam” suas reservas de alimentos absorvendo energia solar pela fotossíntese, sua folhagem necessita de certos cuidados. Depois que as flores murcham, as folhas devem ter um período de crescimento e amadurecimento normais, a fim de que o bulbo subterrâneo acumule energia suficiente para suportar o período de descanso e possa, posteriormente alimentar a próxima geração.

 

Hipeastrum Hibridum (amarílis):

Hipeastrum Hibridum (amarílis)

O Amarílis, também é conhecido por açucena e por flor-da-imperatriz, é uma planta bulbosa que se adapta muito bem às nossas condições climáticas, pois é originária da América do Sul. Ele tem um rápido crescimento e floração de até um mês, após esse período o bulbo entra em período de dormência, perdendo todas as folhas e adquirindo uma aparência “sem-vida” florescendo novamente na primavera. Suas flores podem ser vermelhas, brancas ou mescladas.

Ela não precisa de muita água, regue uma vez a cada 5 dias, com uma xícara de água. A planta pode ficar em local com bastante luz, com algumas horas de sol direto. Se ela for colocada num local escuro, ela tende a crescer muito antes de florescer.Dica: após o florescimento e depois que suas folhas secarem, corte a haste até 1 cm acima do bulbo e plante-o no jardim ou em um vaso com terra nova. Na primavera florescerá novamente.

 

Se você quiser fazer a experiência de plantar o bulbo e acompanhar seu crescimento, pode comprar o bulbo diretamente na loja TOCA DO VERDE.

 

Plante o bulbo na terra, ou substrato bem drenado, deixando apenas o pescoço do bulbo fora da terra. Após o plantio molhe bem a terra e deixe o vaso em local quente e claro. A floração acontecerá em aproximadamente 4 semanas. Você verá algo assim:
1a fase: bulbo recém plantado
2a fase
3a fase
4a fase: florido, lindo!

Hyacinthus spp. (jacinto)

Hyacinthus spp. (jacinto)
O jacinto também é uma planta bulbosa e herbácea com uma belíssima floração na primavera. Suas folhas são espessas, brilhantes e longas e surgem em numero de quatro a seis. A inflorescência é ereta e simples, de formato cilíndrico, com numerosas flores cerosas, simples ou dobradas, duráveis e muito perfumadas, de cor azul, rosa e branca. É originário da África, Europa mediterrânea e Ásia.

 

O jacinto gosta de locais mais frescos, longe da luz solar direta. Regue frequentemente evitando a acumulação de umidade.

O Alex do blog A febre das Plantas – Plantas de Interior tem umas fotos ótimas e mais explicações de todo o processo a ser feito com a planta após a floração.

Tulipa Gesneriana (tulipa)

Tulipa Gesneriana (tulipa)
As tulipas são originárias da Ásia Central e não da Holanda, como o senso comum leva a imaginar. Foram levadas para a Holanda em 1560 pelo botânico Conrad Von Gesner. Algumas referências defendem que as tulipas seriam originárias da China, de onde foram levadas para as montanhas do Cáucaso e para a Pérsia.

 

O nome da flor foi inspirado na palavra “tulipan” que significa “turbante” (o formato da tulipa lembra um turbante). As flores podem ser vermelhas, roxas, pink, amarelas, brancas e atingem de 60 a 90cm de altura.

 

Aqui no Brasil é muito difícíl a tulipa produzir novos bulbos. Os bulbos que florescem aqui são importados da Holanda, climatizados e passam por um processo de adaptação ao nosso clima.

Dica: quando for comprar um tulipa, procure uma que esteja com o botão ainda fechado. Coloque-a num  local bem fresco, longe da luz solar direta e regue-a com um pouco de água todos os dias. Ou então pode colocar um cubo de gelo sobre a terra a cada dia, tomando cuidado para o gelo não tocar a planta e queima-la.

Você também pode colocá-la na geladeira a noite para que a flor se feche e dure mais.

Assista aqui o programa sobre bulbos que fiz na TV Gazeta:

Crédito das fotos:

Foto esquemática bulbos verdadeiros: Enciclopédia Plantas e Flores vol.1. São Paulo, SP: Editora Abril Cultural, anos 70.
Fotos esquemáticas bulbo com gema e bulbo em crescimento: Série Atlas Visuais – Plantas. 6a edição, 7a impressão. São Paulo, SP: Editora Ática, 2005.
Fotos das flores e das fases do amarílis: Terra Viva

 

Referências:
LORENZI, Harri. Plantas ornamentais no Brasil: arbustivas, herbáceas e trepadeiras. 3a edição. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2001.
Enciclopédia Plantas e Flores vol.1. São Paulo, SP: Editora Abril Cultural, anos 70.
Série Atlas Visuais – Plantas. 6a edição, 7a impressão. São Paulo, SP: Editora Ática, 2005.

 

Sites consultados:

Gostou do post? Do site? Conecte-se com a natureza comentando, curtindo e compartilhando meus posts e vídeos nas redes sociais! Eu te agradeço!

 

Beijos floridos de gratidão,

Nô Figueiredo – A Menina do Dedo Verde

Conexão com a natureza

aula de jardinagem: como cuidar de mudas e fazer inseticida caseiro – TV Gazeta

aula de jardinagem: como cuidar de mudas e fazer inseticida caseiro – TV Gazeta

Assista agora à minha participação no programa Manhã Gazeta da Olga Bongiovanni, a terceira aula de jardinagem onde ensino a cuidar das mudas das plantas e a fazer um inseticida caseiro:

 


Programa foi ao ar em 4 de março de 2011.

 

 

As plantas foram gentilmente cedidas pelo Shopping Garden

 

Para assistir minhas outras participações na TV Gazeta clique: TV Gazeta

 

Gostou do post? Do site? Conecte-se com a natureza comentando, curtindo e compartilhando meus posts e vídeos nas redes sociais! Eu te agradeço!

 

Beijos floridos de gratidão,

Nô Figueiredo – A Menina do Dedo Verde

Conexão com a natureza

O que é adubação e para que serve?

O que é adubação e para que serve?

Agora vamos às dicas para manter sempre lindas as suas plantas:

 

Como nós, as plantas precisam de água, luz e  alimento. O alimento das plantas é composto pelos minerais, que podem ser adquiridos na terra preparada e adubada. Só que depois de um tempo, principalmente se a planta está num vaso, os nutrientes da terra daquele vaso acabam e então é necessário repor através da adubação. Uma planta bem alimentada é uma planta sadia, forte e bonita, com muito menos chance de sofrer o ataque de pragas e doenças.

 

Adubo orgânico ou inorgânicos, qual é a diferença?

 

Bom, o orgânico ou natural é composto de matéria de origem vegetal ou animal. São substâncias que precisam ser decompostas pelas bactérias do solo para então serem assimiladas pelas plantas. Sua atuação é mais lenta, mas duradoura. Além disso eles ajudam a melhorar a textura da terra deixando-a mais porosa, beneficiando a oxigenação das raízes.

 

Já os inorgânicos são obtidos a partir da extração mineral ou de derivados do petróleo. Sua atuação é imediata. Assim que são aplicados já podem ser absorvidos pela planta, não precisam ser decompostos pelas bactérias do solo. Em contrapartida, muitos nutrientes são desperdiçados, pois muitas vezes a planta não consegue absorver todo o nutriente e a sobra é perdida com o tempo e carregada pela a água.

 

Quais são os nutrientes que a planta precisa e para que servem?

 

Os nutrientes mais importantes são chamados de macronutrientes: o nitrogênio (N), o fósforo (P) e o potássio (K), por isso os adubos inorgânicos ou sintéticos são chamados de NPK.

 

O nitrogênio, o N da fórmula, é muito importante para o crescimento e desenvolvimento das raízes, caules e folhas. A maior parte do nitrogênio a planta absorve no começo da vida e ele fica armazenado em seus tecidos de crescimento. Quando ele está em maior quantidade na fórmula ele é recomendado para estimular a brotação e o enfolhamento. Ótimos para folhagens em geral e para gramados. Sua falta na fase inicial retarda o crescimento e consequentemente a produção. Geralmente a sua falta deixa a folha com a cor verde pálida ou verde amarelada e o excesso produz abundante folhagem de coloração verde-escura.

 

O P, o fósforo, é muito importante na formação da clorofila e ainda aumenta o desenvolvimento radicular proporcionando à planta maior capacidade de absorver os elementos férteis do solo. O fósforo também age diretamente na qualidade dos frutos e maturação das sementes. Se você quer estimular o surgimento de raízes (após um transplante por exemplo), o aumento das floradas, das frutificação e produção de sementes, você deve reforçar adubos onde o fósforo sobressai. Em regiões onde ocorrem geadas ele é muito importante para aumentar a resistência das plantas ao frio e ajuda a apressar a maturação dos frutos. A deficiência desse elemento pode ser percebida pela coloração arroxeada das folhas.

 

O K, o potássio, contribui na formação de tubérculos, rizomas, fortalece os tecidos vegetais e ainda aumenta a resistência contra a seca. Sem ele a planta não se desenvolve e fica atrofiada e mais sujeita ao ataque de pragas e doenças.

 

As fórmulas mais comuns existentes à venda são:
  • NPK 4-14-8 (4 partes de nitrogênio, 14 partes de fósforo e 8 partes de potássio) para espécies que produzem flores e frutos. Ex. hibisco, azaléias, violetas, cítricos como a laranjeira, legumes, etc. Além disso, segundo a maioria dos fabricantes, esta formulação é ideal para ser aplicada no momento do plantio dos vegetais, no preparo do solo, pois o alto teor de fósforo proporciona uma melhor formação e desenvolvimento das raízes e estrutura das plantas.

 

  • NPK 10-10-10 (partes iguais dos 3 elementos) para espécies que não florescem e não produzem frutos, como as samambaias. Segundo os fabricantes, esta formulação também é ideal para ser aplicada em plantas já formadas, na forma de cobertura. Neste caso, pode ser usada em flores, folhagens, hortaliças e frutíferas.

 

  • NPK 15-15-20 (15 partes de nitrogênio, 15 partes de fósforo e 20 partes de potássio), rica em potássio, esta formulação é considerada bem prática, pois pode ser usada também no cultivo hidropônico, sendo indicada especialmente para hortas.

 

  • Também existem no mercado as fórmulas preparadas especialmente para determinadas espécies de plantas ornamentais. É o caso das violetas, orquídeas, rosas e samambaias. Neste caso, os fabricantes elaboram uma fórmula adequada às necessidades nutricionais de cada espécie.

 

  • Uma outra formulação especial já encontrada no mercado é o NPK granulado para gramados, que pode ser aplicado de uma forma bem rápida e prática, simplesmente espalhado sobre o gramado.

E os micronutrientes? Quais são e para que servem?

E os micronutrientes são: cálcio, magnésio, enxofre, boro, molibdênio, manganês, ferro, cobre e zinco. Servem para complementar a alimentação das plantas, mas em menor quantidade que os macronutrientes.

 

E como faço para conseguir todos esses nutrientes?

Um boa forma de se obter um excelente adubo orgânico é através de compostagem. Pode-se utilizar até composteiras prontas também conhecidas por MINHOCÁRIOS.
Ou então compre fertilizantes naturais:

 

Húmus de minhoca que você pode fazer em uma composteira ou então comprar pronto. Melhora a porosidade do solo, aumenta os teores de nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio e manganês do solo, melhora o pH do solo e aumenta o número de microorganismos no solo.

 

A farinha de ossos é proveniente da moagem de ossos. Contém fósforo e cálcio.

 

A torta de algodão ou de mamona são ricas em nitrogênio e matéria orgânica.
Atenção: a torta de mamona é tóxica para bichos e crianças. Evite misturá-la à farinha de osso, porque os cachorros são atraídos pelo cheiro.

 

Adubação natural para planta que floresce e frutifica:

3 colheres de farinha de osso
1 colher de torta de algodão ou mamona
8 colheres de humus de minhoca

Coloque uma colher da mistura na superfície do vaso e depois regue. Ideal é aplicar no final do dia.

 

Veja como fazer no VÍDEO.

 

Adubação natural para folhagens em geral ou pós floração:

3 colheres de torta de algodão
1 colher de farinha de osso
8 colheres de humus de minhoca
Coloque uma colher da mistura na superfície do vaso e depois regue. Ideal é aplicar no final do dia.

 

Veja no VÍDEO como fazer.

A freqüência de adubação varia de acordo com a espécie cultivada. Algumas precisam mais outras menos, mas, de forma geral, a adubação pode ser feita a cada dois meses. Mas lembre-se: quanto à dosagem e forma de aplicação, siga rigorosamente as indicações do fabricante, que constam na embalagem do produto.

 

E se eu adubar demais, o que acontece?

Sintomas de excesso de adubação:

  • Crescimento exagerado das hastes, que ficam espichadas demais.
  • Na superfície do vaso pode se formar um limo esverdeado ou uma cobertura branca, e quando as folhas tocam esse local murcham, apodrecem e caem.
  • Também é possível que as pontas das folhas fiquem amarronzadas.
  • Assim que você notar o aparecimento desses sintomas, suspenda a adubação.

Atenção: o excesso de adubação inorgânica pode matar a planta.

 

E se aparecerem pragas e doenças, o que faço?

Inseticida caseiro – para o combate de pulgões, cochonilhas e lagartas. Ingredientes: 1 colher (chá) de sabão caseiro + 1 litros de água. Preparo: utilize uma colher (chá) de sabão caseiro raspado e misture em 1 litros de água agitando bem até dissolver o mesmo. Aplicação: essa calda deve ser aplicada sobre as plantas com o auxílio de pulverizador ou regador, principalmente no verão e primavera.Eu também gosto muito de usar o óleo de neem ou nim, que também é super natural. Veja na embalagem a quantidade que deve ser dissolvida em água e pulverize.

Dica: Sempre pulverize o inseticida ou o óleo de neem no fim da tarde. Para combater uma praga ou doença, faça 1 aplicação por semana durante 3 semanas.

Veja aqui mais dicas de INSETICIDAS CASEIROS.

 

Referências bibliográficas:

Coleção Minhas Plantas: jardinagem prática, combate às pragras, idéias e decoração, plantas medicinais. São Paulo: Editora Abril, 1980.

TUPIASSÚ, Assucena. Da planta ao jardim: um guia fundamental para jardineiros amadores e profissionais. São Paulo: Nobel, 2008.

Internet:

Embrapa

Jardim de Flores

Crédito foto:

Brasil escola Uol

 

Gostou do post? Do site? Conecte-se com a natureza comentando, curtindo e compartilhando meus posts e vídeos nas redes sociais! Eu te agradeço!

 

Beijos floridos de gratidão,

Nô Figueiredo – A Menina do Dedo Verde

Conexão com a natureza

Plantas Purificadoras de ar – site iG

Plantas Purificadoras de ar – site iG

Olha que legal! Saiu uma matéria com trechos de uma entrevista que dei para o iG Casa, sobre as plantas estudadas pela NASA conhecidas como purificadoras de ar ambiente:
Veja a matéria completa sobre plantas que purificam o ar:
E agora a entrevista completa:
Plantas versáteis com várias opções de uso: 
Hedera helix (hera)

A hera é uma graça de planta. Pode ser usada como trepadeira revestindo muros e paredes, fica linda como forração de canteiros ou vasos (se colocar um vaso grande com uma planta grande, que tenha um tronco só e a folhagem em cima, a hera fica linda como forração e acaba revestindo também o vaso), e também pode ser cultivada num vasinho pequeno como planta pendente, pendurada no teto ou apoiada numa prateleira alta ou então conduzida enrolada numa estaca de madeira. Pode ser cultivada tanto à pleno sol ou à meia sombra (em ambiente interno). Pode ser encontrada num tom verde escuro ou variegata, com as folhas verde e brancas. Os vasos podem ser de todas as cores e materiais. Depende da decoração da casa. Combina mais estilos de jardim mais europeu.

Chlorophytum comosum (clorofito) 

O clorofito é quase tão versátil como a hera. Só não é trepadeira. Mas fica lindo como planta pendente, num quadro verde ou num jardim vertical. Também funciona super bem como forração de um vaso com uma planta grande. E como forração de canteiro, dando cor e leveza, sempre à meia sombra.

Philodendron hederaceum (filodendro-pendente) 

O filodendro-pendente também é bastante flexível. Pode ser cultivado em vasos ou jardineiras como planta pendente ou então diretamente no solo, como forração a meia sombra.

Spathiphyllum wallisi (lírio-da-paz) 
 

O lírio-da-paz é uma planta que nunca sai de moda. Adoro sua folhagem verde escura e sua inflorescência branca! Lindas em qualquer ambiente! Se você só tiver um cantinho na sua casa e quiser ter um verdinho para alegrar o ambiente, o lírio-da-paz é ideal. Apenas uma mudinha num vasinho pequeno já muda o astral do ambiente. A cor do vaso? A que melhor combinar com a sua casa! Use a sua imaginação! Se você tiver um pouco mais de espaço, pode fazer uma bacia com lírios-da-paz. Também fica lindo. Num quadro verde ou jardim vertical, sempre à meia sombra também é sucesso garantido!

Chamaedorea seifrizii (chamedórea-bambu)
A chamedória é uma planta clássica de interior, como aquele pretinho básico que toda mulher tem no armário e que nunca sai de moda. Funciona super bem em qualquer tipo de decoração. É uma planta super fácil de cultivar e que quase nunca fica doente.

Plantas esculturais que combinam com ambientes mais modernos:

Dracaena marginata (dracena-de-madagascar)

A dracena-de-madagascar, o pau d’água e a espada-de-são-jorge entram naquela listinha das plantas da casa da vovó, mas que estão ressurgindo das cinzas com tudo. Gosto muito de utiliza-lás em vasos em interiores bem iluminados. Combinam bem com uma decoração mais moderna, minimalista, funcionando como uma escultura viva.

Dracaena deremensis (pau-d’água)
Sansevieria trifasciata (espada-de-São-Jorge)

Difíceis de cultivar em interior:

Gerbera jamesonii (gérbera)

A gérbera é mais encontrada como flor de corte. Fica linda num vaso com água. Enfeita e enche de luz e cor a sua casa. Plantada em vaso ela deve ser cultivada a pleno sol, portanto não é indicada para interior nem é muito fácil de cultivar.

Dendranthema grandiflorum (crisântemo)
Os crisâtemos são muito populares, baratos e fáceis de encontrar. Mas depois que passa a florada, é muito difícil eles voltarem a florir.

Para ver as outras entrevistas que dei: Na mídia

Referências:
http://www.sti.nasa.gov/tto/Spinoff2007/ps_3.html
http://www.scribd.com/doc/1837156/NASA-Indoor-Plants
http://revistagloborural.globo.com/GloboRural/0,6993,EEC1701154-2869,00.html

Fotos que não são de minha autoria:
filodendro-pendente (Philodendron hederaceum) – http://plantsarethestrangestpeople.blogspot.com/2009/03/sailor-philodendron-hederaceum.html
gérbera (Gerbera jamesonii) – http://www.floremvaso.com.br/gerberas.shtml
crisântemo – http://cidaflores.net/paginas/flores_plantas.html

 

Gostou do post? Do site? Conecte-se com a natureza comentando, curtindo e compartilhando meus posts e vídeos nas redes sociais! Eu te agradeço!

 

Beijos floridos de gratidão,

Nô Figueiredo – A Menina do Dedo Verde

Conexão com a natureza

Aula de jardinagem: como fazer mudas e plantar sementes – TV Gazeta

Aula de jardinagem: como fazer mudas e plantar sementes – TV Gazeta

Assista agora à minha participação no programa Manhã Gazeta da Olga Bongiovanni, a segunda aula de jardinagem onde ensino a fazer mudas de plantas e a plantar sementes:

 


Programa foi ao ar em 11 de fevereiro de 2011.

 

As plantas foram gentilmente cedidas pelo Shopping Garden 

 

Veja outras participações na TV Gazeta

 

Gostou do post? Do site? Conecte-se com a natureza comentando, curtindo e compartilhando meus posts e vídeos nas redes sociais! Eu te agradeço!

 

Beijos floridos de gratidão,

Nô Figueiredo – A Menina do Dedo Verde

Conexão com a natureza