Você já reparou nessa flor? Parece uma orquídea!

Bauhinia variegata – foto: Nô Figueiredo

Linda demais, né? Ela também pode ser branca:

Bauhinia alba – foto: Nô Figueiredo

Ou pink:

Bauhinia blakeana – foto: Nô Figueiredo

Popularmente elas são chamadas de Pata de Vaca, por causa do formato das folhas, que lembram o casco das vacas:

Detalhe folha Bauhinia ssp. – foto: Nô Figueiredo

Essas árvores lindas infelizmente não são nativas brasileiras, mas elas se adaptaram muito bem ao nosso clima, são muito ornamentais e usadas na arborização urbana. Perto da minha casa existem vários exemplares!

A Bauhinia variegata e a Bauhinia alba são originárias da Índia e perdem parte de suas folhas uma vez ao ano (semi decíduas). Elas atingem de 7 a 10 metros de altura e são facilmente reproduzidas por sementes planas e achatadas que ficam dentro de frutos achatados tipo vagem. São uma das árvores mais cultivadas nas ruas das cidades do sudeste do Brasil. Ficam ótimas também em parques e jardins, tanto isoladas como grupos ou renques. Elas toleram geadas e se adaptam bem em todo território brasileiro. As flores são formadas de junho a setembro.

A Bauhinia blakeana, que tem as flores pink tem origem desconhecida, mas foi encontrada por frades na Catedral Romana de Hong Kong e preservada por eles. Ela não perde as folhas e tem o porte um pouco menor. Ela atinge de 6 a 8m de altura e floresce quase o ano todo, mais intensamente de abril a agosto. Seu florescimento é muito exuberante! Ela não produz frutos, por isso é multiplicada através de alporquia e enxertia. Ela tolera poda de contenção, mas não tolera geadas.

Preciso confessar que ando na rua olhando para cima e procurando flores. Sou capaz de desviar do meu caminho para passar em frente à uma árvore florida! Você nunca fez isso?

Fonte: LORENZI, Harri et al. Árvores exóticas no Brasil: madeireiras, ornamentais e aromáticas. Nova Odessa, SP. Instituto Plantarum, 2003.

 

Gostou do post? Do site? Conecte-se com a natureza curtindo e compartilhando meus posts e vídeos nas redes sociais! Eu te agradeço!

 

Beijos floridos de gratidão,
Nô Figueiredo – A Menina do Dedo Verde
Conexão com a natureza