Dúvidas sobre adubação? Aprenda agora o que é, para que serve, como adubar corretamente e ainda tem dicas de receitas de adubos orgânicos para plantas!

Dúvidas sobre adubação? Saiba o que é e para que serve!

Vira e mexe recebo perguntas relacionadas com adubação. Como adubar, quantas vezes, que adubo usar, etc.

 

Então resolvi fazer um post e um vídeo explicando esse tema. Como nós, as plantas precisam de água, luz e alimento. O alimento das plantas é composto pelos minerais, que são adquiridos na terra preparada e adubada.

 

Quando a planta está na natureza, ela faz parte de um ecossistema e naturalmente ela obtem todos os nutrientes que ela precisa para sobreviver.

 

Quando cultivamos no jardim e principalmente quando cultivamos em vasos, depois de um tempo, os nutrientes da terra daquele vaso acabam e então é necessário repor através da adubação.

 

Uma planta bem alimentada é uma planta sadia, forte e bonita, com muito menos chance de sofrer o ataque de pragas e doenças.

 

 Adubo orgânico ou inorgânicos, qual é a diferença?

 

Bom, o orgânico ou natural é composto de matéria de origem vegetal ou animal. São substâncias que precisam ser decompostas pelas bactérias do solo para então serem assimiladas pelas plantas. A atuação do adubo orgânico é mais lenta, mas é muito mais duradoura. Além disso a adubação orgânica ajuda a melhorar a textura da terra deixando-a mais porosa e beneficiando a oxigenação das raízes.

 

Já os adubos  inorgânicos são obtidos a partir da extração mineral ou de derivados do petróleo. Sua atuação é imediata. Assim que são aplicados já podem ser absorvidos pela planta, não precisam ser decompostos pelas bactérias do solo. Mas, em contrapartida, muitos nutrientes são desperdiçados, pois muitas vezes a planta não consegue absorver tudo de uma vez e a sobra é perdida com o tempo e carregada pela a água. Esse adubo não penetra no solo. Não melhora a qualidade do solo.

 

Quais são os nutrientes que a planta precisa e para que servem?

 

Os nutrientes que a planta precisa são divididos em 2 grupos. Os que elas precisam em maior quantidade são chamados de macronutrientes: e são o nitrogênio (N), o fósforo (P) e o potássio (K), é por isso os adubos inorgânicos ou sintéticos são chamados de NPK.

 

OS MACRONUTRIENTES: NPK

NITROGÊNIO (N)

nitrogênio é muito importante para o crescimento e desenvolvimento das raízes, caules e folhas. A maior parte do nitrogênio a planta absorve no começo da vida e ele fica armazenado em seus tecidos de crescimento. Quando ele está em maior quantidade na fórmula ele é recomendado para estimular a brotação e o enfolhamento. É ótimo para folhagens em geral e para gramados. Sua falta na fase inicial da planta retarda o crescimento e consequentemente a produção. Geralmente a sua falta deixa a folha com a cor verde pálida ou verde amarelada e o excesso produz folhagem abundante de coloração verde-escura.

 

FÓSFORO (P)

fósforo é muito importante na formação da clorofila e ainda aumenta o desenvolvimento radicular proporcionando à planta maior capacidade de absorver os elementos férteis do solo. O fósforo também age diretamente na qualidade dos frutos e maturação das sementes. Se você quer estimular o surgimento de raízes (após um transplante por exemplo), o aumento das floradas, das frutificação e produção de sementes, você deve reforçar adubos onde o fósforo sobressai. Em regiões onde ocorrem geadas ele é muito importante para aumentar a resistência das plantas ao frio e ele ainda ajuda a apressar a maturação dos frutos. A deficiência desse elemento pode ser percebida pela coloração arroxeada das folhas.

 

POTÁSSIO (K)

O potássio contribui na formação de tubérculos, rizomas, fortalece os tecidos vegetais e ainda aumenta a resistência contra a seca. Sem ele a planta não se desenvolve e fica atrofiada e mais sujeita ao ataque de pragas e doenças.

 

ADUBOS INORGÂNCOS

As fórmulas mais comuns existentes à venda são:

NPK 4-14-8 (4 partes de nitrogênio, 14 partes de fósforo e 8 partes de potássio) para espécies que produzem flores e frutos. Ex. hibisco, azaléias, violetas, cítricos como a laranjeira, legumes, etc. Além disso, segundo a maioria dos fabricantes, esta formulação é ideal para ser aplicada no momento do plantio dos vegetais, no preparo do solo, pois o alto teor de fósforo proporciona uma melhor formação e desenvolvimento das raízes e estrutura das plantas.

 

NPK 10-10-10 (partes iguais dos 3 elementos) é mais indicado para espécies que não florescem e não produzem frutos, como as samambaias. Segundo os fabricantes, esta formulação também é ideal para ser aplicada em plantas já formadas, na forma de cobertura. Neste caso, pode ser usada em flores, folhagens, hortaliças e frutíferas.

 

NPK 15-15-20 (15 partes de nitrogênio, 15 partes de fósforo e 20 partes de potássio), rica em potássio, esta formulação é considerada bem prática, pois pode ser usada também no cultivo hidropônico, sendo indicada especialmente para hortas.

 

Também existem no mercado as fórmulas preparadas especialmente para determinadas espécies de plantas ornamentais. É o caso das violetas, orquídeas, rosas e samambaias. Neste caso, os fabricantes elaboram uma fórmula adequada às necessidades nutricionais de cada espécie.

 

Uma outra formulação especial já encontrada no mercado é o NPK granulado para gramados, que pode ser aplicado de uma forma bem rápida e prática, simplesmente espalhado sobre o gramado.

 

O segundo grupo de nutrientes que as plantas precisam são chamados de micronutrientes.

 

MICRONUTRIENTES: Quais são e para que servem?

E os micronutrientes são: cálcio, magnésio, enxofre, boro, molibdênio, manganês, ferro, cobre e zinco. Servem para complementar a alimentação das plantas, mas em menor quantidade que os macronutrientes.

 

E como fazer para conseguir todos esses nutrientes?

Um boa forma de se obter esses nutrientes é através de compostagem. Pode-se utilizar até composteiras prontas também conhecidas por MINHOCÁRIOS.

 

ADUBOS ORGÂNICOS OU NATURAIS

HUMUS DE MINHOCA

Húmus de minhoca você pode fazer em uma composteira ou então comprar pronto. O húmus de minhoca é maravilhoso! Ele melhora a porosidade do solo, aumenta os teores de nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio e manganês do solo, melhora o pH e aumenta o número de microorganismos no solo!

 

FARINHA DE OSSO

farinha de ossos é proveniente da moagem de ossos. Contém fósforo e cálcio.

 

TORTA DE ALGODÃO

torta de algodão ou de mamona são ricas em nitrogênio e matéria orgânica.

Atenção: a torta de mamona é tóxica para bichos e crianças. Evite misturá-la à farinha de osso, porque os cachorros são atraídos pelo cheiro e podem ser intoxicados.

 

CASCA DE OVO

Aproveite também para guardar as cascas dos ovos que consumir. Lave-as para retirar aquela pelinha que fica por dentro e deixe secar por uns dias ou coloque no forno baixo por uns 30 minutos para secar e depois bata no liquidificador. Elas possuem cálcio!

Veja no vídeo como fazer.

 

BORRA DE CAFÉ

O pó do café, sem açúcar, claro, também é um ótimo adubo.

 

 

ADUBAÇÃO PARA ESTIMULAR A FLORAÇÃO:

3 colheres de farinha de osso

1 colher de torta de algodão

8 colheres de humus de minhoca

Coloque uma colher da mistura na superfície do vaso e depois regue. Ideal é aplicar no final do dia.

Veja no vídeo como fazer.

 

Depois que acabou a floração e para folhagens em geral, uso:

ADUBAÇÃO PÓS FLORAÇÃO E PARA FOLHAGENS EM GERAL

3 colheres de torta de algodão

1 colher de farinha de osso

8 colheres de humus de minhoca

Coloque uma colher da mistura na superfície do vaso e depois regue. Ideal é aplicar no final do dia.

Veja no vídeo como fazer.

 

FREQUÊNCIA DE ADUBAÇÃO

A freqüência de adubação varia de acordo com a espécie cultivada. Algumas precisam mais outras menos, mas, de forma geral, a adubação pode ser feita a cada dois ou 3 meses. A cada 3 meses, ou no começo da primavera, do verão e do outono eu faço uma adubação especial como as que ensinei acima.

A horta e os temperos devem ser adubados todo mês com húmus de minhoca, pó de café e farinha de casca de ovo. As plantas em geral também podem receber essa adubação mensal.

Se for utilizar adubos inorgânicos, siga rigorosamente as indicações do fabricante com relação à dosagem e forma de aplicação que constam na embalagem do produto.

 

E se eu adubar demais, o que acontece?

Os Sintomas de excesso de adubação são:

Crescimento exagerado das hastes, que ficam espichadas demais.

Na superfície do vaso pode se formar um limo esverdeado ou uma cobertura branca, e quando as folhas tocam esse local murcham, apodrecem e caem.

Também é possível que as pontas das folhas fiquem amarronzadas.

Assim que você notar o aparecimento desses sintomas, suspenda a adubação.

 Atenção: o excesso de adubação inorgânica pode matar a planta.

 

E se aparecerem pragas e doenças, o que faço?

Veja o vídeo onde ensino inseticidas caseiros para combate-las.

 

segredo do cultivo

AAC: Atenção, amor e carinho!

Toda planta adora receber atenção, amor e carinho. Aliás, quem não gosta?

 

LUZ VERDE

E para terminar você pode imaginar que a sua planta está sendo envolvida numa linda luz verde, a luz verde é a luz da cura. E visualize a sua planta linda, saudável e feliz!

 

E ai? Como você aduba suas plantas? O que você usa para adubá-las? Conta para mim nos comentários abaixo.

Você encontra diversos tipos de ADUBOS ORGÂNICOS E INORGÂNICOS na loja online Toca do Verde!

Clique abaixo para visitar a loja

Beijos floridos com amor, carinho e gratidão da Nô Figueiredo

Guirlanda de flores com "NÔ" escrito no centro