Aprenda como cultivar dracenas, a 4a colocada das plantas que purificam o ar e removem gases tóxicos do ambiente:

COMO CULTIVAR DRACENAS

As dracenas são lindas e enfeitam qualquer ambiente.

 

Dracena bambú

A dracena bambú (Dracaena surculosa) é um arbusto ramificado, ereto e com folhagem muito ornamental. É originária da África e atinge até 2m de altura. Pode ser cultivada em vaso em locais protegidos como esse que fica nesse canto do terraço e também fica linda no jardim, em locais sombreados sob bosques formando conjuntos ou ao longo de muros.

A dracena bambú gosta de terra fértil e mantida úmida. Não gosta de baixas temperaturas.

Multiplica-se por estacas preparadas no final do inverno.

 

Bambú da Sorte

A dracenea sanderiana (Dracaena sanderiana) também é conhecida por bambú da sorte e é uma planta muito versátil. Ela também é originária da África.

Podemos cultivar galhos dela na água por muitos anos ou então em vasos ou canteiros, onde pode atingir até 1,5m de altura.

A variedade de folhas com margens brancas ou amarelas prefere ser cultivada no sol, enquanto que a de folhas verdes pode ser cultivada tanto no sol como na meia sombra e ela aguenta bastante tempo em locais com pouca luz.

 

Pleomele

A pleomele (Dracaena reflexa), também conhecida por dracena malaia e pau d’água. A que tem as folhas variegatas, fica super bem no sol e a de folhas verdes escuras fica ótima dentro de casa. Elas são originárias de Madagascar, Índia e Ilhas Maurício. Quando plantadas no jardim podem atingir até 3m de altura. Devem ser cultivadas em regiões tropicais e subtropicais. Elas não toleram baixas temperaturas. Podem ser cultivadas em vasos ou no jardim como planta isolada e conduzida como arvoreta ou formando grupos em jardins amplos. Gostam de terra fértil e irrigada a intervalos.

Multiplicam-se facilmente por estacas, principalmente as das pontas dos ramos.

 

Dracena tricolor

A dracena tricolor (Dracaena marginata) é uma verdadeira escultura viva! Ela pode ter as folhas assim avermelhadas, verdes ou com as beiradas brancas e listinhas vermelhas e verdes.

Esse arbusto ereto, de tronco fino e anelado nas plantas jovens e volumoso e espesso nas idosas, é originário de Madagascar e pode atingir até 4m de altura.

São cultivadas a pleno sol ou em ambientes bem iluminados. Ficam lindas em vasos e seus ramos podem ser retorcidos criando lindos efeitos. No jardim podem atingir até 4m de altura e são usadas formando conjuntos maciços ou ao longo de muros e paredes, em canteiros com solo bem drenado. São plantas bem tropicais que não toleram geada.

Para fazer mudas, corte estacas do ramo em qualquer época do ano.

Aqui em São Paulo tenho visto ela sendo usada como forração. Morro de pena, por que ela acabam tendo que ser podadas direto. Não gosto de ficar podando uma planta que tem em seu DNA atingir 4m de altura. Acho que ela deve ficar triste de não poder atingir seu potencial completo.

 

Dracena confete

A dracena confete (Dracaena godseffiana) tem folhas lindas! Parece que cairam confetes nelas! Esse arbusto ereto e não ramificado, pode atingir até 1,5m de altura é originário da África. Existem variedades em que as folhas são totalmente cobertas de manchas e pontinhos creme com a faixa central branca e outra que as folhas são verdes com pintinhas brancas.

Produz inflorescência curta, com flores pequenas, verde amareladas, que não são muito ornamentais. Mas logo em seguida aparecem os frutinhos vermelhos e arredondados que são muito vistosos.

São muito utilizados para vasos de interior, mas ficam também lindos em jardins sob bosques formando maciços.

Gostam de terra fértil e irrigada periodicamente. Não gosta de baixas temperatura, sendo indicada para regiões quentes.

Para multiplicar, faça estacas no inverno, que é a melhor época para isso.

 

Pau d’água

O pau d’água (Dracaena fragans), também é conhecido por coqueiro de vênus e dracena. Ele vira um arbusto grande, que raramente se ramifica e que também é originário da África. Quando plantado no jardim ele pode atingir de 3 a 6m de altura.

A forma típica da planta é com as folhas inteiras verdes, mas eu acho lindo esse cultivar que tem as folhas com detalhes amarelados.

É uma planta muito rústica, indicada para cultivo em vasos para interiores e também no jardim, em áreas amplas, como planta isolada ou formando conjuntos, renques ou fileiras a pleno sol ou à meia sombra. Também formam cercas vivas.

Se você pegar um pedaço do tronco e colocar em um prato com um pouco de água, ele solta raízes com facilidade, vindo dai seu nome popular de pau d’água.

Essa planta é facilmente multiplicada por estacas.

 

Dracena vermelha

A planta conhecida por dracena vermelha, cordiline ou coqueiro de vênus, mas na verdade, ela não é uma dracena. Ela é parente das outras dracenas, são todas plantas da família Liliaceae. Seu nome científico é Cordyline fruticosa. Ela é originária da Índia, Malásia e Polinésia. É um arbusto semi lenhoso que pode atingir até 2,5m de altura.

Existem inúmeras variedades de cultivo aqui no brasil. Ficam lindas em vasos para interiores e também no jardim em grupos ou formando fileiras junto a paredes e muros, tanto a pleno sol como a meia sombra. É tolerante ao frio.

Como das dracenas, multiplica-se facilmente por estacas.

 
 

VOCÊ JÁ OUVIU FALAR DAS PLANTAS QUE PURIFICAM O AR?

Pois é, a NASA, a Agência Espacial Americana, tem estudado as plantas e como elas criam oxigênio e removem gases tóxicos.

Participei de um bate-papo ao vivo na página da revista Bons Fluidos onde expliquei melhor sobre essas plantas dia 16 de fevereiro e o bambú da sorte é a quarta colocada entre elas. Ela é ótima para remover vários gases tóxicos e também é ótima para umidificar o ambiente, pois tem uma alta taxa de transpiração.

 
 

ENTRE PARA MINHA LISTA VIP ABAIXO E RECEBA GRATUITAMENTE A APOSTILA SOBRE PLANTAS QUE PURIFICAM O AR

Clique abaixo para visitar a loja

Beijos floridos com amor, carinho e gratidão da Nô Figueiredo

Guirlanda de flores com %22NÔ%22 escrito no centro