Quando eu tinha uns 15 anos eu fiz uma viagem às cavernas do Petar que me marcou profundamente. Eu aprendi 2 coisas:

1. Nunca olhe para cima. Olhe para a frente: Durante a caminhada para uma das cavernas, quando me deparei com uma trilha super íngrime, me apavorei e falei para o monitor que não ia conseguir subir. Que era alto demais para mim. Ele então disse para eu não olhar para cima, mas para frente. E foi conversando comigo, distraindo a minha atenção enquanto caminhávamos. Quando percebi, já estava lá em cima!

2. O silêncio sagrado das cavernas: dentro das cavernas o silêncio é puro, intenso e delicioso! Quando se apagam as luzes das lanternas, escutamos um silêncio que não existe do lado de fora. Lá dentro não tem barulho algum. Ou tem o barulho da água criando alguma beleza… É muito bom estar envolvida por esse silêncio e escuros absolutos!

O mais louco é que do nada as cavernas começaram a aparecer nas minhas meditações. Senti que era o momento de voltar. Pedi ao meu marido essa viagem de presente de aniversário.

Foi só um final de semana… mas deu para aproveitar muito! Sábado acordamos cedo e fomos com o guia, o Cidão, para o núcleo Santana. Começamos com o filet mignon, a caverna Santana. Essa caverna é considerada uma das mais lindas da região. A água fez lindos trabalhos de esculturas lá dentro:

Depois fomos até a caverna Morro Preto que fica ao lado, paramos para tomar um lanche e recuperar as energias.

E então visitamos a caverna do Couto, considerada uma “baby” caverna, pois foi formada mais recentemente que as outras. Ela não tem muita graça, para falar bem a verdade… mas o Cidão preparou uma surpresa especial para mim lá dentro:

Uma festinha de aniversário com direito a bolo, velas de 42 anos, chapeuzinho e até 1 balão! Foi super emocionante! Jamais imaginei comemorar meu aniversário literalmente dentro da caverna!!! 

E na saída da caverna tomamos um super banho de cachoeira na cachoeira do Couto: 

Para limpar, energizar e revigorar!

 

 

Voltamos para a pousada super cansados, mas muito felizes! A sauna já estava ligada… Nos esperando! Depois da sauna, banho na piscina natural! Tudo de bom!

Voltamos para o quarto, outro banho, roupas secas, jantamos e antes de 9h já estávamos dormindo!

No domingo acordamos antes das 7h, café da manhã reforçado com direito a iogurte natural feito lá, granola natural, frutas, bolos, etc, encaramos uma trilha de 45 minutos, com uma parada para comprar um mel puríssimo da região direto do apicultor e chegamos na caverna Lambari. A maior parte dessa caverna é feita com a água na altura do peito. Meu caçula, de 10 anos, ficou o tempo todo segurando um cabo preso no alto. Emoção total!

Saindo de lá, caminhamos até a vilinha e pegamos umas boias para fazer o bóias-cross.

Infelizmente não tenho fotos nossas. Essas fotos são do site da Pousada das Cavernas. Tivemos que deixar a máquina num local seco, pois durante o boia-cross temos que estar com as duas mãos livres para manejar a boia! Os meninos adoraram descer o rio de barriga para baixo, deitado sobre a bóia com se fossem uma tartaruga! Uma delícia de passeio, cheio de adrenalina! E perfeito para o dia quente de sol do domingo!

O boia-cross acaba na frente da pousada. Subimos para o quarto, tomamos uma ducha quente, colocamos uma roupa seca, almoçamos e pegamos a estrada de volta. Ficamos com a impressão de que havíamos estado lá por muito mais do que os dois dias (na verdade 1 dia e 1/2) que ficamos. Foi tão intenso, tão bom, tão bonito, tão revigorante, que só indo lá conferir pessoalmente!

Quer ver mais fotos? Acesse o álbum: Cavernas do Petar no facebook

Dicas:

O que levar: 02 pares de tênis (velhos para as caminhadas e passeios), repelente contra insetos, protetor solar, capa de chuva, mochila, squezzi ou garrafinha de água, lanterna com pilhas extras, máquina fotográfica, toalha extra. Na caverna só pode entrar com camiseta que cobre os ombros e calça comprida.

A melhor pousada da região é a Pousada das Cavernas: http://www.pousadadascavernas.com.br/ Recomendo, é realmente ótima! As acomodações são amplas, confortáveis, com espaço para secar as roupas… e com uma comida caseira deliciosa!

E tiramos a sorte grande de ter como guia o Cidão, o cara que mais conhece e curte as cavernas! Ele é o homem das cavernas! Além disso ele faz um trabalho super legal de educação ambiental com as escolas da região! O tel dele é (015) 3556-1138 e e-mail: [email protected]

PETAR quer dizer Parque Estadual do Alto Ribeira, está localizado na região do vale do Ribeira, a 340km da capital do Estado de São Paulo e a 185km de Curitiba. O Parque é dividido em 4 núcleos: Santana, Ouro Grosso, Caboclos e Casa de Pedra.


 

Para saber mais sobre o Petar acesse:

http://www.ambiente.sp.gov.br/verNoticia.php?id=47

http://www.ambiente.sp.gov.br/wp/trilhasdesaopaulo/2011/05/24/trilha-do-betari-no-petar/

http://www.fflorestal.sp.gov.br/index.php

Gostou do post? Do site?
Conecte-se com a natureza curtindo e compartilhando meus posts e vídeos nas redes sociais! Eu te agradeço!

Beijos floridos de gratidão,

Nô Figueiredo – A Menina do Dedo Verde
Conexão com a natureza.